Menu

TATUAGEM PARA QUEM GOSTA DE COSTURA

Falando sobre: Costura, Cotidiano
20 jul 2016

Eu não tenho nenhuma tatuagem, queria muito, mas sou medrosa! No entanto, sempre me pego pensando sobre desenhos que eu gostaria de fazer, sonhando em como ficariam e inventando mil cenários e looks com as minhas tatuagens imaginárias.

E se tem um tema que com certeza seria escolhido para uma tatuagem, esse tema é, claro, COSTURA!

Esse caminho de linhas e agulhas me ganharam de um jeito e nunca mais vai sar da minha vida, por isso mesmo é que tenho certeza que não me arrependeria.

Fiz até uma pastinha no Pinterest com inspirações, também separei aqui algumas imagens de tatuagens costureiras, pra ver se você se anima e me ajuda a tomar coragem de fazer também!

7a2f0ee926808b0c37cfddf09f1988b6

alejvndrogl.tumblr.com1 alejvndrogl.tumblr.com2

bloglittlerock.com2

 

Como não se apaixonar por essa delicadeza de maquinhinha? É de uma tatuadora aqui do Vale do Paraíba, Dani Bianco (vou fazer post sobre ela e alguns outros profissionais aqui da região!).

 

danibianco

sewmodernonline.com1

 

Estou muito apaixonada por essa de manequim vintage. Olha que coisa mais linda, gente! Tem até o aramado pra saia *-*

 

tumblr_nuddg64vae1rndqwvo1_1280

 

Eu particularmente prefiro as mais delicadas, mas pra quem curte cores, olha essa tesoura!

 

wornthrough.com1

 

E aí, se animou pra fazer uma tatuagem com tema costureiro? Me conta tudo nos comentários!

Beijos!

5 CURIOSIDADES SOBRE MIM

Falando sobre: Cotidiano
13 jul 2016

No começo da minha vida na internet não tinha inteção de mostrar muito de mim. Meio contraditório, já que o nascimento desse trabalho foi justamente com um canal no youtube… Mas eu achava que poderia separar as duas coisas e viver assim. Ledo engano!

Conforme o tempo vai passando, acaba que a vida e o trabalho vão se envolvendo e mostrar um pouquinho mais é inevitável. Hoje já não tenho mais pânico de falar sobre minha vida, minha família e principalmente sobre minhas escolhas. E como recebo muitos pedidos para falar um pouco mais sobre mim, resolvi fazer esse post com cinco curiosidades sobre essa que vos escreve 🙂

Então vamos lá:

 

1. Tenho pavor de pombos

275685_Papel-de-Parede-Pombo-na-Sacada_2048x1536

 

Veja bem, não é nojinho, é PAVOR! Se estou andando numa praça e tem uns pombinhos tranquilos ciscando por alí, eu dou um jeito de dar a volta e passar o mais longe possível deles. Eles virem em revoada pro meu lado é um dos meus piores pesadelos. Não ria, tenho medo mesmo 🙁

E não adianta vir com pombinha branca da paz pra mim, que eu vou sair correndo do mesmo jeito!

 

2. Amo mostarda e nem ligo pro katchup

fancymade.tumblr.com

fancymade.tumblr.com

 

Quando criança eu não gostava de katchup mesmo, hoje eu até como… Mas minha preferida sempre foi e sempre será a mostarda! Aliás gosto mais de maionese que de katchup rs

 

3. Quando criança, todas as minhas bonecas se chamavam Laura

laura

Laurinha!

 

Inclusive essa coisa com Laura era tão forte, que minha irmã mais nova, quando queria fazer manha, dizia que ela era a bebê Laurinha! Bem, a fixação por Laura vai me acompanhar pra sempre, já que minha primogênita recebeu esse nome 😀

 

4. Sou a pessoa mais bagunceira que conheço

tumblr_nlfv6hwz1K1r2omg8o1_1280

 

Sério, não consigo manter nada organizado. O problema é tão grande, que mesmo me sentindo mal na bagunça, acabao aceitando o caos haha

Eu até consigo arrumar minhas coisas, mas na primeira oportunidade de sair de casa, já troco o look 10x e as roupas vão todas parar pra cima da sapateira, na cadeira, por cima das dobradas… Sapatos? Tem em todo lugar.

Isso não significa que minha casa parece um episódio de acumuladores, cada coisa tem seu lugar e normalmente arrumo tudo no final de semana, mas no decorrer dos dias, acabo precisando bagunçar um pouco rs

 

5. Tenho obsessão por caveiras

sugar_skull_pendant_by_creepy_cute_couture-d61ej63

 

Sim, caveiras de todos os tipos! Tenho caveiras em todos os cômodos da minha casa, até nos banheiros. Minha luva de cozinha? Tem estampada a mão de uma caveira. Minhas almofadas da sala? Caveiras. Até os potes de água e ração das minhas meninas são de caveiras! (Mas o coração é de mocinha! rs)

 

O que você achou dos 5 fatos que separei sobre mim? Quer saber mais alguma coisa? Me conta nos comentários!

Um beijo!

 

MINHA VIAGEM AO PERU: CUSCO – parte #2

Falando sobre: Vídeos
11 jul 2016

374

 

Hoje vou contar sobre minha chegada em Cusco e os passeio que fiz pela região. Mas antes de começar, vou tentar explicar um pouco como tudo funciona, porque essa foi uma tarefa meio confusa até mesmo pra mim, já estando lá.

Cusco, em Quíchua (língua falada pelos Incas) significa o umbigo do mundo, ou seja, onde tudo se concentra e se conecta. Portanto a maior parte das ruínas dos povos incas e pré-Incas estão em Cusco e seus arredores, assim como as marcas dos conquistadores espanhois, na presença de muitas igrejas e referências da religião cristã.

Então você pode imaginar que ruínas e belezas naturais são extremamente exploradas pelo turismo local, por isso mesmo é que tudo, absolutamente tudo, é pago. Para entrar nos principais parques você precisa, antes de qualquer coisa, comprar o Boleto Turistico – Ticket que se deve apresentar na entrada das atrações para poder entrar, vão furar o local correspondete pra você não poder entrar duas vezes sem pagar a segunda. Também é possível comprar entradas avulsas, assim que chegar ao local, mas vai sair bem mais caro que comprar tudo de uma vez.

 

13646681_1140550812677823_2

 

Além do boleto, também é necessário adquirir condução e guia separadamente. Você pode ir sozinho, mas não recomendo, pois sem uma pessoa contando a história e magia do local, vamos só ver um monte de pedras e ficar boiando. Conseguir isso é fácil, tem dezenas de agências turísticas espalhadas pela cidade que fazem esse serviço. Eu comprei direto no hostel, tinha uma pequena agência no pavimento principal, os preços eram melhores que das agências que perguntei e o ônibus saía de um ponto quase em frente a entrada do hostel.

Dito isso, vou passar pras minhas primeiras experiências na cidade 🙂

 

630

566

320

 

A cidade é muito alta, percebi isso logo na chegada pelo incômodo ao andar e respirar. Não é nada insuportável, mas subir um lance de escada me cansou como se fosse uma escada infinita rs. Além do cansaço e falta de fôlego, podemos sentir dores de cabeça, náuseas e disfunção do trato intestinal. Só que com alguns cuidados nada disso vai acontecer: eles usam e abusam da folha de coca em chás, balas e ela própria para mascar; a folha de coca tem propriedades que evitam o temido Soroche ou Mal da Altitude e vão te fazer sentir bem melhor. Além disso, tire o primeiro dia para ambientação, não marque nada no roteiro, vá só andar um pouco pelo centrinho da cidade, que é minúscula. Coma coisas leves, como alguma sopinha ou prato de quinoa, que costuma cair bem, tome muita água, não se esforce e evite ao máximo tomar álcool. Na manhã seguinte já vai estar tudo ótimo pra começar o divertimento! 🙂

Fiquei no mesmo hostel de Lima, Pariwana. Esse é bem mais legal, uma casa colonial de mais de 400 anos, com um pátio enorme e com uma vibe maravilhosa!

 

292

 

O primeiro dia, como citei, fiz somente ambientação, tomei uma sopinha de legumes e um suquinho de lúcuma, fruta popular por lá. André comeu uma massa vegetariana e tomou a famosa Chica Morada, bebida feita a partir do maíz morado, um milho roxo escuro. A chica é uma delícia, vale a pena pedir!

Passeamos um pouquinho pela Praça de Armas e, ao anoitecer, comemos numa confeitaria lindinha, La Valeriana, com doces muito bons e preços ótimos. Experimente o Tres Leches, simplesmente maravilhoso.

 

352

353

368

371

 

Para o dia seguinte já separamos visitas a sítios arqueológicos. Os principais passeios são: City Tour, Vale Sul, Maras/Moray e Vale Sagrado. Cada um deles dura metade de um dia e o ônibus passa por vários lugares.

Pra quem curte história, o circuito fica legal na ordem que descrevi acima, mas como nem tudo são flores, não estaria disponível essa ordem para as datas que eu precisava. Por isso, minha primeira parada foi Vale Sul.

O Vale Sul Passa por Tipón, uma amostra ainda em funcionamento da engenharia hidráulica dos povos andinos. É inacreditável ver a engenhosidade daquele sítio, foram unidos vários lençois freáticos e a água direcionada para varias calhas que se separam e se juntam, na intenção de tornar a água própria para consumo. Insano!

 

394

378

376

 

Depois de lá, fomos para Pikillacta, a primeira cidade organizada da era, com praça central, ruas e bairros. O nome significa cidade das pulgas, referência a estatura daquele povo.

 

457

422

 

Também visitamos Andahuaylillas, que é uma igreja barroca toda construida por andinos. Infelizmente não é permitido fotografar lá dentro, mas vale a pena!

 

473

475

 

Voltamos pouco depois da hora do almoço e fomos ao restaurante Limo, na praça de Armas de Cusco. É um restaurante mais refinado, com preços mais altos, mas a comida vale muito a pena. Comemos ceviche e umas bolinhas de mandioca com queijo, que eu não lembro como chamava. Para beber foi Pisco Sour e uma limonada maravilhosa com côco, recomendo fortemente tudo, principalmente as bebidas!

 

516

515

533

 

Fomos também conhecer a famosa pedra de 12 ângulos. Segundo a tradição, se você não visitar a tal pedra sua ida a Cusco não significou absolutamente nada!

Dica: quando for ver a pedra não deixe nenhum local vir te explicar sobre ela ou qualquer outra coisa, pois se você ouvir, ele te cobrará pelo menos 10 soles de ‘propina’…

 

560

 

Aproveitamos pra dar uma passeada pela praça de armas, estava acontecendo desfiles lindos, já que era a semana do Inti Raymi, festa mais importante de Cusco que celebra o deus sol.

A bandeira colorida é o símbolo de Cusco e, como um dos guias me explicou, é diferente da bandeira LGBT pois as cores estão em lugares diferetes e a cusquenha tem o branco.

346

502

507

 

Como foi nosso primeiro dia de caminhada nos parques, porque olha… a gente anda nesses passeios (como anda!), estávamos exaustos e ficamos pelo hostel a noite e dormimos cedo.

Pra não deixar o post muito longo, vou deixar 2 dias para cada post, ok?

O que você está achando da minha viagem? Me conta nos comentários!

Beijos!

 

Veja Também:

Viagem ao Peru: Lima – parte #1

 

 

COSTURANDO BLUSA BÁSICA RETRÔ

Falando sobre: Costura, Moda, Modelagem
08 jul 2016

IMG_1473

 

Quando estamos começando a costurar, a vontade é fazer já logo um casaco de inverno ou um vestido inteiro drapeado, mas a verdade é que estamos meio longe de peças complexas. Pode parecer meio frustrante ter que começar de vagar, mas te garanto: as peças simples tem tanto charme, que, mesmo depois de aprender bastante, você vai querer repetir as básicas!

E essa modelo de blusa é um belo exemplo disso, foi o primeiro projeto de blusa que fiz totalmente sozinha, desde a modelagem até a finalização da costura. E ele é, sem dúvidas, meu favorito ever! Já tenho 4 no mesmo modelo e sempre quero mais <3

Vou sempre pender pro lado de peças básicas e com jeitinho retrô. E essa blusa é tudo isso junto, ainda mais nessa estampa de poá grande preto e branco. Escolhi a viscose para esse projeto e caiu muito bem com o modelo. Aconselho usar tecidos com bom caimento e mais levinhos para essa blusa.

 

IMG_1436

 

Eu sei que o tempo esfriou e uma regata não é bem o que você deve estar procurando no momento, mas pode ter certeza que vai valer a pena. Ela compõe muito bem looks com sobreposições, agora no inverno, mas também vai ser ótima pra colocar os bracinhos de fora, quando o calor voltar.

Se você acompanha o canal a mais tempo, deve lembrar da Regata Cropped de Suede. E a única diferença na execução da cropped para essa de hoje são as pences.

Falei das pences no vídeo anterior e também fiz um post todo dedicado a esse tema, é só clicar aqui e depois aqui pra conferir.

 

IMG_1541

 

Fiz um vídeo com o DIY dessa blusa, com modelagem, corte e costura. Tudo bem explicadinho e simples de fazer, clica pra ver:

 

E aí, gostou dessa blusa e quer fazer também?

Beijos!

MINHA VIAGEM AO PERU: LIMA – parte #1

Falando sobre: Viagens
06 jul 2016

157

 

Toda vez que volto de viagem sofro com uma espécie de limbo, meio aérea e morrendo de saudade do lugar que acabei de deixar. Mas passando alguns dias consigo voltar ao normal e retornar ao trabalho (parte mais difícil haha).

Com a viagem ao Peru não foi diferente! Além do mais foi, com certeza, uma das melhores da minha vida até agora.

Fiquei dez dias entre Lima, Cusco, Vale Sagrado e a tão sonhada Machu Picchu. Então estou separando os posts por regiões que fiquei, hoje vão ser os 2 primeiros dias em Lima.

Cheguei em Lima num domingo, por volta do meio dia, morrendo de fome, já que lá o fuso é de 2 horas a menos. A primeira impressão da cidade foi: neblina!

Eu já sabia que lá nunca chove e nunca faz sol, mas é uma visão peculiar uma cidade toda cinza e sem nem um rainho de sol. Mas isso não significa que eu não tenha gostado, porque eu adorei!

A cidade é banhada pelo Oceano Pacífico e tem muitas praias, as quais nem cheguei perto por estar frio e, caso você não saiba, não sou super fã de areia e água salgada não rs.

 

071

 

Fiquei hospedada no bairro de Miraflores, um dos mais recomendados de Lima. Normalmente fico em hostel, se você tem algum receio desse tipo de hospedagem, fique tranquilo! Hostels são lugares muito mais legais do que você imagina, cheio de gente jovem e amigável, com festas todo dia. Além do que as oportunidades de conhecer novas culturas e atividades na cidade aumentam incrivelmente quando estamos com outras pessoas na mesma vibe que a gente.

Escolhi o Hostel Pariwana, muito bem avaliado em sites do segmento e completamente aprovado por mim! Amei o lugar, muito limpo, animado, comida maravilhosa e com preço bom. Outra vantagem de hostel é que todo mundo, normalmente, está com o orçamento apertado, então sempre podemos pegar boas dicas de passeios free/low budget na recepção ou com outros viajantes.

 

13621322_1786673501552853_1

 

Para o primeiro dia, separamos alguns pontos turísticos pra visitar a pé mesmo. Fomos ao Parque Del Amor, uns 10 minutinhos caminhando em linha reta pela Avenida Diagonal, logo em frente ao Hostel.

A praça fica de frente para costa, com uma vista maravilhosa do Oceano Pacífico e tem uma escultura enorme de um casal aos beijos. Em toda sua volta tem gramados e jardins floridos, onde muitos casais se sentam para apreciar o entardecer, além de muros baixos, cobertos de mosaicos com frases de amor. Logo ao lado da praça há uma pista de parapente, o que deixa a vista do mar ainda mais interessante, com o céu cheio de pontos coloridos. É sem dúvidas um lugar extremamente romântico!
066

054

059

045

 

Voltei andando para o Hostel e comi por lá mesmo. Esperimentamos dois pratos típicos, o Lomo Saltado – uma espécie de frango xadrez, mas com carne bovina – e Quinoa ao Pesto,  esse cereal é muito popular no país. Ambos estavam uma delícia, mas eu gostei mais do prato vegetariano de quinoa.

 

075

 

Ao anoitecer, segui para o Circuito Mágico del Aguas, no Parque de la Reserva. Fica a uns 20 minutos de taxi, partindo de Miraflores e me custou em torno de 10 Nuevos Soles (vou falar sobre a moeda e dar dicas para o taxi no próximo post!).

O parque conta com várias fontes diferentes, algumas são fontes comuns, com esguinchos bonitos e outras, muito mais interessantes, são interativas! Isso mesmo, além de ver toda a beleza da água em movimento, você pode brincar com ela.

Cheguei um pouco antes das 19 horas e tive tempo de ver o show de animação que usa uma parede de água para ser exibido.

 

087

 

As que eu mais gostei foram o Túnel e o Labirinto (tem mais detalhes dela no vídeo da viagem!). Não sei dizer se esses são os nomes oficiais, mas o parque não é tão grande assim e você pode fazer o circuito, literalmente, iniciando na fonte 1 e seguindo até a última.

O Parque funciona de terça a domingo, das 15h às 22h, paguei por volta de 8 soles a entrada e achei que valeu a pena só pelas risadas no labirinto!

A noite logo no primeiro dia, conheci uma brasileira na recepção (pode procurar pela Natália!) que deu a melhor dica: Tour Grátis pelo centro antigo de Lima, saindo da praça logo em frente ao hostel!

Então fica a dica: todos os dias, às 11h da manhã, sai um tour a pé do Parque Central de Miraflores (que na verdade é uma praça). É só chegar lá uns minutinhos antes e se juntar a um grupo de pessoas de diferentes países, que estará lá pra fazer a mesma coisa que você. Aí aproveita pra já fazer umas amizades nesse tempinho! O guia usa uma camiseta amarela, com ‘Free Tour’ estampada. Ele é peruano, mas normalmente fala inglês também.

Na manhã seguinte, aguardamos o tour. Seguindo o guia, fomos andando para uma estação de ônibus, ele avisou quanto seria o ticket, pagamos e ele mesmo comprou pra todos.

Não consigo me lembrar o nome dele, mas foi um fofo! Explicou muito bem sobre a história de Lima e nos levou aos pricipais pontos históricos. Passamos por ruas, igrejas e praças importantes, aprendi sobre arquitetura da cidade, religião e até um pouco de política.

 

134

135

 

No fim do tour ele ainda nos convidou pra experimentar a comida local em um restaurante alí do centro mesmo. Cheguei a mostrar no snap, não foi o lugar mais limpo e agradável que eu poderia comer, mas sinceramente, eu amei! O restaurante era bem simples, meio podrão, mas a comida incrível e barata demais: um pratão enorme de ceviche, que comem duas pessoas tranquilamente, custou cerca de 12 soles. Pra acompanhar, pedi uma Inka Cola, aka o guaraná do Peru (que tem mais gosto de tubaína).

 

142

141

 

Depois do almoço não tínhamos roteiro, por isso decidimos acompanhar um casal que estava no tour com a gente (como disse, dá pra fazer muitos amigos!). Eles estavam indo visitar o Cristo del Pacífico, uma espécie de Cristo Redentor miniatura, que fica num mirante de frente pra cidade e mar. A vista é linda!

Mas se você resolver fazer esse passeio de taxi (o que eu recomendo), peça ao taxista para te esperar, pois lá em cima não passam meios de transporte e se a carona não ficar pra te levar de volta, vai acabar como nós: tendo que descer todo o morro a pé para pegar uma condução na parte baixa.

 

236

169

166

Como tive que andar bastante e estava me acostumando ainda com o ambiente e tudo mais, além de ter um voo para Cusco bem cedo no dia seguinte, resolvi dormir cedo. Apesar da festa no hostel estar bem convidativa, usei o tempo para descansar, já que a parte alta da viagem ainda estava por vir.

Próxima parada: Cusco e sua altidude de 3.400m acima do nível do mar. Mas isso vai ser assunto do próximo post!

Então não deixe de acompanhar o blog, pra reviver comigo essa viagem maravilhosa!

Beijos!