Menu

FLÓRIDA – UNIVERSAL ORLANDO | #kbviaja

Falando sobre: Viagens
28 ago 2018

No post passado contei sobre minha passagem pelo complexo Disney, hoje venho contar sobre o Universal Orlando (aka minha parte favorita). Vamos lá?

Dia 05 – Volcano Bay

Chegamos no complexo da Universal na noite anterior, super cansados e fomos direto pro quarto. Por isso, acordamos cedo e fomos dar uma olhadinha no hotel. O Cabana Bay é um dos mais novos hotéis da Universal e tem uma vibe toda retrô, parecendo que entramos num filme entre os anos 50 e 60. Sério, tudo alí respira mid century, desde as estruturas dos prédios, até os guarda-sóis das piscinas.

O hotel conta com vários restaurantes e uma praça grande de alimentação com diversos tipos de comidas rápidas e um plano para fonte de bebidas, que você paga de acordo com os dias que vai ficar hospedado. Essa praça tem preços bons e opções vegetarianas e veganas bem razoáveis.

Depois do café fomos direto pro Volcano Bay, parque aquático novinho em folha! E quem fica no Cabana Bay tem a regalia de poder levar as toalhas do hotel e ainda ir direto em trajes de banho, já que tem uma passagem direta pro parque pelos fundos do hotel.

Logo na entrada recebi uma ‘tapu-tapu’, espécie de relógio que substitui o cartão de crédito e chave dos lockers, muito útil pra não precisar carregar carteira. O parque é bem bonito, com um ‘vulcão’ enorme bem no meio e diversas piscinas, rides aquáticas e praias artificiais. Eu sou muito medrosa, então fiquei só pelos lazy rivers e rides mais tranquilas, mas meu noivo aproveitou todas as mais intensas, principalmente os tubos que descem por dentro e fora do vulcão. Bem radical.

Existem vários restaurantes e bares espalhados, alguns vendem somente bebidas, outros servem bebidas e snacks e ainda alguns com refeições mais completas. Nós escolhemos um fast food com saladas prontas e mac’n’cheese.

A tarde o tempo fechou um pouco e garoou. Como tínhamos ingressos para ver o Blue Man Group, fomos mais cedo pro hotel, jantamos na praça maior e seguimos depois pro teatro.

Recomendo fortemente o show do Blue Man Group, foi uma das melhores experiências que tive em Orlando. A atração vai muito, mas muito, além daquelas amostras deles batendo nos tubos nos programos de domingo aqui do Brasil. Dura uma hora e meia, que eu podia jurar que eram quinze minuto. Vale cada centavo pago!

Após o show voltamos pro hotel descansar um pouco pra continuar os parques no dia seguinte.

 

Dia 06 – Universal Studios

Acordamos e fomos direto pro parque, pois tínhamos reserva pra tomar café no The Leaky Cauldron, restaurante da área Harry Potter. O restaurante tem pratos prontos com opções bem americanas, mas você tem opção de trocar qualquer carne do seu prato por batatas ou ovos, o que já ajuda muito.

Depois do café pegamos o Hogwarts Express, trem que liga o Universal Studios ao Island of Adventure, pelas áreas Harry Potter. Tem que se atentar aqui porque seu ingresso precisa ser ‘park to park’, que dá acesso aos dois parque no mesmo dia. Se não for, você pode pagar uma taxa alí na plataforma mesmo pra poder passear no trem.

É bem interessante fazer o caminho nesse sentido, porque no meio da fila tem uma entrada 9 ¾ entre as placas 9 e 10. O trem tem cabines com telas que servem de ‘janelas’ onde mostram o caminho igual ao filme.

Chegando em Hogsmeade, nos dirigimos de volta pra estação, pois a intenção era fazer primeiro o Universal Studios.

Esse parque tem diversas áreas homenageando cidades americanas, então só o passeio por lá, prestando atenção nas estruturas e decorações já vale a pena.

Nossas rides favoritas do parque são Harry Potter and the Escape from Gringotts (montanha russa e simulador),  Revenge of the Mummy (montanha russa fechada), Men in Black Alien Attack (carrinho com competição de tiro), Rock it (montanha russa que sobe a 90 graus), E.T. Adventure (ride do filme E.T. bem antiga, mas muito bonitinha), The Simpsons Ride (simulador),

Almoçamos na área dos Simpsons, onde tem uma praça de alimentação ambientada no desenho, com ‘Bar do Moe’, ‘Luigi’s Pizza’, ‘Krusty Burger’, entre outros. Escolhi o hambúrguer de feijão do Krusty Burger e não me arrependi! Se não for o melhor hambúrguer da minha vida, está no top 3. Vale a pena pedir o Flaming Moe’s, bebida artificial de laranja que solta uma fumacinha.

No fim do dia vale dar uma passadinha na área do Harry Potter, pra tomar um sorvete da Florean Fortescue’s. Eu pedi um Sunday, mas qualquer sorvete de lá é maravilhoso!

Esse parque não tem show de encerramento, então voltamos pra casa cedo e comemos no próprio hotel, já que a comida é gostosinha e bem em conta!

 

Dia 07 – Island of Adventure

O dia começou chovendo, mas não me desanimou pro último parque em Orlando. Uma coisa muito boa de enfrentar os parques com chuva é que a maior parte dos turistas somem! Isso mesmo, o parque estava super vazio e conseguimos aproveitar tudo sem filas ou com filas de 5 minutos.

Começamos a visita direto pela área do Harry Potter desse parque. Também tínhamos reserva pra tomar café, dessa vez no Three Boomsticks. Li bastante que esse restaurante é melhor que o The Leaky Cauldron’s, mas eu não achei. Os pratos são basicamente os mesmo, com poucas diferenças e quase nenhuma opção sem carne. Da mesma forma, você pode trocar as carnes por batatas ou ovos.

Nesse parque podemos visitar Hogwarts, uma ride tão, mas tão legal, que até a fila dá vontade de ficar mais tempo, de tão rico que são os detalhes. A ride do castelo se chama Harry Potter and the Forbidden Journey e é um simulador incrível, de longe uma das mais legais de Orlando.

Aqui também dá pra pegar o Hogwarts Express no sentido inverso, recomendo fazer o caminho de ida e volta, já que as animações na cabine são diferentes.

Na área dedicada ao Jurassic Park, o River Adventure é uma ride muito legal, por retratar o filme, mas só vá se quiser se molhar muito. E quando digo muito, é muito mesmo!
Se for fã de Jurassic Park como eu sou, visite o Discovery Center. É um retrato do visitor center do filme, com esqueletos e um berçário de dinossauros, onde você pode ver um bebê nascendo e até tocar nos ovos.

Outras rides legais são: Skull Island: Reign of Kong (simulador muito bom, com fila interativa), Dudley Do-Right’s Ripsaw Falls e Popeye & Bluto’s Bilge-Rat Barges (ambas atrações que molham), The Amazing Adventures of Spider-Man (simulador imperdível).

Minha ride favorita de todos os parques é a The Incredible Hulk Coaster, montanha russa que já começa lá de cima e com um looping! Dá mais medo olhar do que andar e recomendo não sair de lá sem aproveitar. Como o parque estava vazio, fomos três vezes nela!

Nesse dia almoçamos no Mythos, restaurante meio escondido na área da Grécia. Ele é só o melhor restaurante de parque de diversão do mundo! O menu é incrível, com diversas opções vegetarianas e você tem a liberdade de escolher um prato não vegetariano e pedir uma versão dele ser carne. O atendimento é surreal e o preço fica bem abaixo da média de um almoço em qualquer outro parque.
Pedimos uma entradinha de pães e pastinhas e um risoto de vegetais, tudo extremamente gostoso.

Como o parque estava muito vazio e terminamos tudo cedo, aproveitamos pra ir outra vez no Disney Springs pra jantar. Depois voltamos pro hotel porque no dia seguinte íamos pra Miami!

No próximo post a diversão dos parques dá espaço pras belezas de Miami. Não vai perder!
Beijo!

FLÓRIDA – PARQUES DA DISNEY | #kbviaja

Falando sobre: Viagens
20 ago 2018

Oi! Estou aqui tirando as teias de aranha desse bloguinho e pronta pra colocar ele pra trabalhar de novo!
Amo escrever, mas acabei deixando esse espaço de lado e quero voltar  a ativa. Por isso venho compartilhar minha última viagem: duas semanas na Flórida!

Dividi essa trip em partes, Orlando, Miami e Key West. Essa é minha segunda ida pra região dos parques mais famosos do mundo, mas primeira vez nas outras regiões do estado da Flórida.
Como sempre, compartilhei a viagem toda nos stories (segue lá @karinabelarmino) e também em vlogs no canal, pra assistir é só clicar aqui!

Hoje vou relatar a primeira parte: Parques da Disney em Orlando!

Dia 01 – Hotel e Disney Springs

Depois de muita espera, atrasos de voo, conexões perdidas, cheguei em Orlando!
Meu primeiro destino era um dos hotéis da Disney, então peguei o shuttle para o meu hotel no aeroporto mesmo (é de graça, só agendar pelo app da Disney).
Fiquei no All Star Sports, mesmo hotel que me hospedei em 2013 (minha primeira visita à Orlando).

Deixei esse primeiro dia livre de atividades, justamente por imprevistos que poderiam acontecer. Com o tempo que sobrou arrumei minhas coisas no quarto e fui fazer uma visita ao Disney Springs, centro comercial do complexo da Disney.
O Disney Springs é muito legal pra passear, fazer compras e comer. Tem diversas lojas legais, muitas são unidades únicas na Flórida, como a Uniqlo. Além de restaurantes e confeitarias desenvolvidos especialmente para o local.
Jantamos no Raglan Road, uma espécie de pub irlandês, com muita opção de cerveja e apresentação de música e dança. Animação não falta, me diverti demais! O cardápio tem algumas opções vegetarianas muito boas, pedi o único risoto veggie e uma porção de cebolas, que veio com um molho imperdível! As cervejas foram escolhas do André, meu noivo, já que não entendo nada do assunto, mas a garçonete entendia muito bem de cada uma.

Depois de jantar, demos um passeio pelo centro e passamos na Erin McKenna’s, uma doceria vegana nova iorquina. Tem muita coisa apetitosa e com preços honestos. Escolhi uma fatia de torta de nozes e levei pro hotel. Dormi cedo para aproveitar bem o dia seguinte, quando começaria de fato a maratona de parques!

 

Dia 02 – Hollywood Studios

O dia começou bonito, com sol, mas temperatura amena. Pegamos o ônibus disponível no hotel para o parque Hollywood Studios. Chegando lá corremos para o Toy Story Mania, por ser uma atração super concorrida e não termos conseguido o amado Fast Pass (passagem que dá direito a fila agendada e mais curta). A atração conta com carrinhos equipados com ‘armas’ laser e você precisa atirar em objetos que aparecem em diversas telas, para fazer pontos. O mais legal é que a pontuação aparece no final e dá pra saber quem foi o melhor do carrinho.

Passeamos pelo parque, que é muito bonito cheio de construções em estilo art deco, e visitamos as atrações mais famosas: Rock’n’Roller Coaster, The Twilight Zone Tower of Terror, Star Tours. Todos com fast pass agendado com bastante antecedência, pois são muito concorridos.

Em alguns horários do dia, tem um desfile de Storm Troopers na avenida principal do parque. Mesmo que você não seja lá muito fã de Star Wars, recomendo muito, vale a pena se informar logo na entrada sobre os horários.

Almoçamos na ABC Comissary, restaurante fast food com muitas opções de sanduiches e um Vegan Burguer, que foi minha escolha. Também pedi batatas e limonada de morango, tudo muito gostoso e com preço bom comparado ao geral dos parques (a limonada vem com canudo do Mickey de suvenir).

A noite o parque tem a atração Fantasmic! que é simplesmente o show mais lindo da Disney, vale muito a pena esperar pra assistir o espetáculo orquestrado pelo próprio Mickey.
Como já havíamos assistido na primeira visita, decidimos assistir ao espetáculo do Star Wars que fica na praça principal. Não tem comparação com o Fantasmic!, mas é legal, principalmente pelas projeções e surpresas.

Jantamos no 50’s Prime Time Café, restaurante ambientado em uma casa dos anos 50, com tv passando programas antigos e garçonetes que te tratam como família. É engraçado e vale muito a visita!
Nessa noite choveu bastante, por isso voltei pro hotel assim que terminou o show de projeções.

 

Dia 03 – Magic Kingdom

O Magic Kingdom é o parque mais famoso e mais visitado do complexo Disney, onde está o Castelo da Cinderella.

Nosso dia começou com café da manhã no Be Our Guest, restaurante ambientado no Castelo da Fera. O menu é bem pequeno e existem duas opções vegetarianas: Quiche de vegetais e Waffle com frutas. Além disso eles servem uma porção de pãezinhos muito gostosos. O salão é muito bonito, pela janela do fundo tem uma projeção de neve caindo em alguns momentos.

Esse parque é dividido em temas: Fantasyland, Adventureland, Tomorrowland, Frontierland e Liberty Square (onde fica o castelo). Cada região é completamente diferente da outra, com rides e decorações dos temas.

Nesse parque aproveitamos muitas rides, nossas favoritas: Buzz Lightyear’s (tiros e pontuação), Seven Dwarfs Mine Train (montanha russa famosinha), Peter Pan’s Flight (ride bem antiga, mas muito fofinha), Jungle Cruise (passeio de barco com motorista que faz muitas piadinhas legais).

Existe um restaurante dentro do famigerado castelo, o Cinderella’s Royal Table. Pra conseguir reserva é uma loucura, precisa ser o mais adiantado possível, então é bom ficar de olho nos prazos pra iniciar reservas de acordo com seu ingresso pro parque.
Ao contrário do Be Our Guest, nesse restaurante a Cinderella já nos recebeu na porta para tirar uma foto. Bem rapidinho, mas deve ser incrível pras crianças!
No ato da reserva já é cobrado o valor da refeição completa, então chegando lá é só esperar seu horário e ser direcionado para uma mesa. As opções são poucas e somente um dos pratos é vegetariano, um couscous, mas o garçom se ofereceu para montar um prato com todos os vegetais disponíveis, então pedimos os ambos!
De entrada escolhemos uma salada com queijo (pode pedir sem queijo!) e de sobremesa um pudim com frutas e mousse de chocolate. Tudo muito gostoso mesmo!
É possível que sua visita seja marcada por alguma princesa que passe pelo restaurante e venha conversar e tirar fotos nas mesas. Por pura sorte, enquanto estivemos lá foram CINCO princesas que nos deram a honra da visita! Inesquecível!

O parque é bem grande e cheio de lugares diferentes pra fazer lanchinhos, paramos no Ice Cream Parlor, famosa pelos ótimos sorvetes e pela pia do Mickey. O preço da pia com sorvete dentro é meio salgado, mas o brinde é muito legal pra quem tem espaço sobrando na mala.
À tarde paramos no Sleepy Hollow pra comer um waffle sandwich, que vem recheado de chocolate e frutas. Uma delícia!

Por mais cansado que esteja, é obrigatório esperar pelo show de encerramento do parque, simplesmente porque é incrível! Um show de luzes, fogos e projeções direto no castelo da Cinderella, que mais parece que está vivo de tão bonito que é!

 

Dia 04 – Epcot

Esse era meu último dia na Disney, por isso já fiz checkout antes de sair. Tomei café na praça de alimentação do hotel, deixei minhas malas guardadas com a equipe que fica do lado de fora do hall e segui pro último parque dessa visita. Eu pulei o quarto parque, Animal Kingdom, pois não me sinto confortável em parques que mantém animais selvagens, assim como não visito zoológicos e aquários. Na minha concepção, os animais merecem viver em seu habitat natural, não em espaços isolados, mesmo que bem tratados. Mas essa é minha forma de pensar, não estou julgando quem escolhe visitar 🙂

O Epcot é um parque dedicado às nações do mundo, aquele que tem uma ‘bola’ prateada. Ele é um dos menores e mais fofos! Na área logo após o globo (que tem uma ride legal dentro, Spaceship Earth) tem a praça Future World, com algumas rides legais espalhadas. A mais concorrida é a Test Track, simulador de teste de desempenho de carros. A fila já é um acontecimento, onde você pode brincar em algumas telas e inclusive criar seu próprio carro. Não vou estragar a surpresa, mas recomento não pular a criação! Quase perdi essa ride por conta do mal tempo, que deixou ela fechada por algumas horas.

Outra ride famosa é Sorin’ Around the World, simulador de voo incrível que te leva pra um passeio cheio de experiências únicas.
Nessa área só essas três são imperdíveis, mas tem muitas atrações legais, só ficar de olho no mapinha (tem app pra isso 😉

Ainda na Future World, passei na Mouse Gear, a maior e melhor loja de itens Disney de todo o complexo! Comprei meu único suvenir de toda a visita Disney, um Donald estilo antigo.

Dei uma passadinha na Club Cool, que é uma lojinha da Coca-Cola com duas fontes de refrigerante, onde você pode experimentar bebidas de diferentes países. A melhor pra mim é a Inca Cola, refrigerante do Perú, que experimentei quando visitei o país em 2016 e me apaixonei. Cuidado com o refrigerante da Itália, quem avisa amigo é! Haha

Passando essa primeira área do parque, tem um lago enorme e em volta pavilhões de países diferentes, cada um com atrações, lojas e até rides de acordo com as tradições de seu país.
A mais concorrida (e extremamente recomendada) é a Frozen Ever After, no pavilhão da Noruega. Não deixe de passar nas lojinhas desse pavilhão, tem muitos docinhos de caramelo gostosos!

Meu pavilhão favorito é o do México, primeiro porque sou completamente apaixonada pela cultura do país e porque é ambientado no ‘día de los muertos’, meu sonho até ano passado, quando consegui realizar! Nesse pavilhão tem um passeio de barquinho com os ‘Três Caballeros’, uma união do Donald, Zé Carioca e Panchito Pistolas, um galo personagem mexicano da Disney.

O pavilhão da China vale muito a pena pelas lojas, construções e uma reprodução do exército de terracota.
Não parei na Alemanha, pois estava chovendo no dia e já tinha passado bastante tempo da primeira vez que visitei o parque. O Biergarten Restaurant é muito bom, com música e apresentações, mas me lembro de ter mais opções para não vegetarianos.

Pra quem gosta de massas, o pavilhão da Itália é muito bom para almoçar. Se quiser um sorvetinho, tente não tomar nesse pavilhão, não porque seja ruim, só que mais a frente tem um melhor! Não deixe de passar na lojinha de máscaras venezianas.

Bem no centro tem o pavilhão dos Estados Unidos. Pode pular! Estamos nesse país, não faz muito sentido perder tempo vendo o que já está sendo visto rs.

No Japão tem uma infinidade de produtos fofinhos e roupas típicas. Lá comprei o famoso Ramune, refrigerante japonês com uma ‘bolinha’ no gargalo, que você precisa pressionar pra abrir. Não é imperdível, mas eu amo muito!

Marrocos tem uma variedade de lojinhas muito bonitas pra visitar e uma reprodução de casa com quintal interior, estilo comum do país.

O próximo pavilhão é da França e aí sim, pode tomar o sorvete na L’artisan des Glaces, a melhor de todas! Pedi casquinha com duas bolas e um macaroon em cima.
Lá também almocei, no Les Halles Boulangerie & Patisserie, uma espécie de padaria francesa, com comida rápida, boa e preço abaixo da média dos parques. Tem muitas opções vegetarianas e algumas veganas, vale a pena.

No pavilhão do Reino Unido tem um pub bem legal, o Rose & Crown e logo em seguida já chegamos ao pavilhão do Canadá. Nos fundos tem uma reprodução de cachoeira canadense que abriga um teatro com apresentação em 360 graus sobre o Canadá. Todos os países têm uma apresentação do tipo, mas só o Canadá vale a pena. Além de ser engraçada, as imagens realmente são incríveis de se ver por toda a extensão do teatro.

No epcot também tem show de encerramento, o IllumiNations, não tão suntuoso como o Fantasmic! Nem tão tradicional quanto o Once Upon a Time, mas é muito bonito e possível de ser visto de qualquer ponto do parque, já que a queima de fogos é feita no centro do lago.
Se não quiser ficar em pé, dá pra sentar na área externa do pub do Reino Unido. Mas chegue bem cedo, pois esse lugar é manjado.

 

Esperei pelo IllumiNations e em seguida fui pro hotel buscar minhas malas e seguir viagem para o Cabana Bay, um dos mais novos hotéis do complexo Universal Orlando. Mas essa parte da viagem fica pro próximo post!

Você já foi pros parques da Disney? Me conta!
Um beijo!

MINHA VIAGEM AO PERU: LIMA – parte #1

Falando sobre: Viagens
06 jul 2016

157

 

Toda vez que volto de viagem sofro com uma espécie de limbo, meio aérea e morrendo de saudade do lugar que acabei de deixar. Mas passando alguns dias consigo voltar ao normal e retornar ao trabalho (parte mais difícil haha).

Com a viagem ao Peru não foi diferente! Além do mais foi, com certeza, uma das melhores da minha vida até agora.

Fiquei dez dias entre Lima, Cusco, Vale Sagrado e a tão sonhada Machu Picchu. Então estou separando os posts por regiões que fiquei, hoje vão ser os 2 primeiros dias em Lima.

Cheguei em Lima num domingo, por volta do meio dia, morrendo de fome, já que lá o fuso é de 2 horas a menos. A primeira impressão da cidade foi: neblina!

Eu já sabia que lá nunca chove e nunca faz sol, mas é uma visão peculiar uma cidade toda cinza e sem nem um rainho de sol. Mas isso não significa que eu não tenha gostado, porque eu adorei!

A cidade é banhada pelo Oceano Pacífico e tem muitas praias, as quais nem cheguei perto por estar frio e, caso você não saiba, não sou super fã de areia e água salgada não rs.

 

071

 

Fiquei hospedada no bairro de Miraflores, um dos mais recomendados de Lima. Normalmente fico em hostel, se você tem algum receio desse tipo de hospedagem, fique tranquilo! Hostels são lugares muito mais legais do que você imagina, cheio de gente jovem e amigável, com festas todo dia. Além do que as oportunidades de conhecer novas culturas e atividades na cidade aumentam incrivelmente quando estamos com outras pessoas na mesma vibe que a gente.

Escolhi o Hostel Pariwana, muito bem avaliado em sites do segmento e completamente aprovado por mim! Amei o lugar, muito limpo, animado, comida maravilhosa e com preço bom. Outra vantagem de hostel é que todo mundo, normalmente, está com o orçamento apertado, então sempre podemos pegar boas dicas de passeios free/low budget na recepção ou com outros viajantes.

 

13621322_1786673501552853_1

 

Para o primeiro dia, separamos alguns pontos turísticos pra visitar a pé mesmo. Fomos ao Parque Del Amor, uns 10 minutinhos caminhando em linha reta pela Avenida Diagonal, logo em frente ao Hostel.

A praça fica de frente para costa, com uma vista maravilhosa do Oceano Pacífico e tem uma escultura enorme de um casal aos beijos. Em toda sua volta tem gramados e jardins floridos, onde muitos casais se sentam para apreciar o entardecer, além de muros baixos, cobertos de mosaicos com frases de amor. Logo ao lado da praça há uma pista de parapente, o que deixa a vista do mar ainda mais interessante, com o céu cheio de pontos coloridos. É sem dúvidas um lugar extremamente romântico!
066

054

059

045

 

Voltei andando para o Hostel e comi por lá mesmo. Esperimentamos dois pratos típicos, o Lomo Saltado – uma espécie de frango xadrez, mas com carne bovina – e Quinoa ao Pesto,  esse cereal é muito popular no país. Ambos estavam uma delícia, mas eu gostei mais do prato vegetariano de quinoa.

 

075

 

Ao anoitecer, segui para o Circuito Mágico del Aguas, no Parque de la Reserva. Fica a uns 20 minutos de taxi, partindo de Miraflores e me custou em torno de 10 Nuevos Soles (vou falar sobre a moeda e dar dicas para o taxi no próximo post!).

O parque conta com várias fontes diferentes, algumas são fontes comuns, com esguinchos bonitos e outras, muito mais interessantes, são interativas! Isso mesmo, além de ver toda a beleza da água em movimento, você pode brincar com ela.

Cheguei um pouco antes das 19 horas e tive tempo de ver o show de animação que usa uma parede de água para ser exibido.

 

087

 

As que eu mais gostei foram o Túnel e o Labirinto (tem mais detalhes dela no vídeo da viagem!). Não sei dizer se esses são os nomes oficiais, mas o parque não é tão grande assim e você pode fazer o circuito, literalmente, iniciando na fonte 1 e seguindo até a última.

O Parque funciona de terça a domingo, das 15h às 22h, paguei por volta de 8 soles a entrada e achei que valeu a pena só pelas risadas no labirinto!

A noite logo no primeiro dia, conheci uma brasileira na recepção (pode procurar pela Natália!) que deu a melhor dica: Tour Grátis pelo centro antigo de Lima, saindo da praça logo em frente ao hostel!

Então fica a dica: todos os dias, às 11h da manhã, sai um tour a pé do Parque Central de Miraflores (que na verdade é uma praça). É só chegar lá uns minutinhos antes e se juntar a um grupo de pessoas de diferentes países, que estará lá pra fazer a mesma coisa que você. Aí aproveita pra já fazer umas amizades nesse tempinho! O guia usa uma camiseta amarela, com ‘Free Tour’ estampada. Ele é peruano, mas normalmente fala inglês também.

Na manhã seguinte, aguardamos o tour. Seguindo o guia, fomos andando para uma estação de ônibus, ele avisou quanto seria o ticket, pagamos e ele mesmo comprou pra todos.

Não consigo me lembrar o nome dele, mas foi um fofo! Explicou muito bem sobre a história de Lima e nos levou aos pricipais pontos históricos. Passamos por ruas, igrejas e praças importantes, aprendi sobre arquitetura da cidade, religião e até um pouco de política.

 

134

135

 

No fim do tour ele ainda nos convidou pra experimentar a comida local em um restaurante alí do centro mesmo. Cheguei a mostrar no snap, não foi o lugar mais limpo e agradável que eu poderia comer, mas sinceramente, eu amei! O restaurante era bem simples, meio podrão, mas a comida incrível e barata demais: um pratão enorme de ceviche, que comem duas pessoas tranquilamente, custou cerca de 12 soles. Pra acompanhar, pedi uma Inka Cola, aka o guaraná do Peru (que tem mais gosto de tubaína).

 

142

141

 

Depois do almoço não tínhamos roteiro, por isso decidimos acompanhar um casal que estava no tour com a gente (como disse, dá pra fazer muitos amigos!). Eles estavam indo visitar o Cristo del Pacífico, uma espécie de Cristo Redentor miniatura, que fica num mirante de frente pra cidade e mar. A vista é linda!

Mas se você resolver fazer esse passeio de taxi (o que eu recomendo), peça ao taxista para te esperar, pois lá em cima não passam meios de transporte e se a carona não ficar pra te levar de volta, vai acabar como nós: tendo que descer todo o morro a pé para pegar uma condução na parte baixa.

 

236

169

166

Como tive que andar bastante e estava me acostumando ainda com o ambiente e tudo mais, além de ter um voo para Cusco bem cedo no dia seguinte, resolvi dormir cedo. Apesar da festa no hostel estar bem convidativa, usei o tempo para descansar, já que a parte alta da viagem ainda estava por vir.

Próxima parada: Cusco e sua altidude de 3.400m acima do nível do mar. Mas isso vai ser assunto do próximo post!

Então não deixe de acompanhar o blog, pra reviver comigo essa viagem maravilhosa!

Beijos!

ESTOU DE FÉRIAS!

Falando sobre: Viagens
18 jun 2016

Apesar do bloguinho ter apenas algumas semanas de vida, o canal já tem quase um ano e meio. E durante esse tempo ainda não havia tirado uns dias pra mim.

Sou super apaixonada por viajar, sem dúvidas, é a coisa que mais gosto de fazer na vida. Se eu tivesse condições, trabalharia viajando e costuraria em todos os lugares do mundo. Seria uma experiência de sonho mesmo, poder aprender técnicas e criar peças de roupas em todo lugar <3

Então agora nessa segunda metade de junho, estarei fora viajando. Mas vocês não precisam se preocupar, porque NADA aqui vai parar!

 

dicasdasamericas.com.br

dicasdasamericas.com.br

 

Bom, se nada vai mudar por que eu estou aqui contanto isso pra vocês? Porque as postagens já estão todas programadas, mas eu vou demorar um pouquinho pra responder. Então não se desesperem, é só esperar uns dias, que eu volto e organizo todos os comentários, emails e tudo mais. Você não vão ficar sem resposta! Todo mundo sabe o quanto eu prezo por esse relacionamento com vocês, então não poderia deixar de de lado os comentários que fizerem!

Isso não significa que eu quero menos comentarios, viu? É pra encher esse bloguinho e os vídeos de recadinhos, assim vou saber que vocês estão gostando! E fiquem ligados nas redes sociais, porque vou registrando tudo pelo Insta, Facebook e Snap (karinabelarm).

 

agilizaviagens.tour.com.br

agilizaviagens.tour.com.br

 

Agora vocês devem estar se perguntando pra onde eu vou, né? E eu não vou deixar vocês morrendo de curiosidade não!

Eu estou indo para o Perú! Vai ser minha primeira visita ao país e estou muito ansiosa para conhecer tudo. Vão ter várias paradas nessa viagem e eu vou contar tudo pra vocês em outros posts e um vídeo também.

Vão ser dez dias por lá e eu vou registrar tudo pra vocês conhecerem esses lugares comigo e também porque eu quero ter um arquivo das minhas viagens a partir de agora. É uma pena que eu não tinha o canal e o blog antes, porque eu adoraria poder ter um registro editadinho e bonito de todas as viagens anteriores pra rever aqui. Mas não tem problema, agora vou ter! <3

 

machupicchu.org

machupicchu.org

 

Como essa viagem vai ter cidade, interior e montanha, minha mala foi uma tarefa difícil, ainda mais pq eu queria levar pouca coisa. Então vou mostrar pra vocês,  em um próximo post, como eu fiz isso e dar dicas de como montar uma mala pequena, mas que dá pra aproveitar em várias situações, ok?

Vou fazer um post contando tudo como foi a organização dessa viagem e dando dicas muito importantes, pra quem quer visitar o Peru também. Tiveram várias coisas que eu quebrei a cabeça pra descobrir e seria muito bom se houvesse um post com todas as informações reunidas. Por isso vou fazer pra vocês 🙂

Aguardem as imagens dessa viagem e não percam por nada os próximos vídeos e posts, tá bom? To contando com vocês e vou ficar de olho aqui e no blog durante a vigem pra saber se vcs vieram me ver <3

E você, já foi pra Lima ou pra Machu Picchu? Me conta se ficou com vontade de ir ou se tem alguma dica pra mim!

Beijos!